SINDCONSTRUCIVIL – MA

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil, Construção Pesada-Infraestrutura, Mobiliário, Artefatos de Cimento, Obras de Arte, Instalações Elétricas, Montagens e Manutenções Industriais, Construção e Manutenção de Rodovias, Ferrovias e Engenharia Consultiva

Ouça nossa rádio

Trabalhadores devem ficar sem ônibus nesta sexta-feira.

De acordo com o secretário administrativo do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, Isaías Castelo Branco, foi confirmada a paralisação dos motoristas de ônibus nesta sexta-feira (28), ás 17h.

Ainda, segundo ele, a circulação dos coletivos estará comprometida por todo este fim de semana e, também, na próxima semana, caso não seja feito nenhum acordo entre a categoria, representada pelo sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Maranhão (STTREMA), e a Secretaria de Segurança Pública (SSP) nos próximos dias. Sendo assim, os coletivos estarão recolhidos entre às 17h e às 4h da madrugada. Os ônibus rodarão, normalmente, ao longo do dia.

O movito do protesto, aderido pelos motoristas, objetiva chamar a atenção das autoridades para o alto número de assaltos a coletivos registrados na capital.

Reajuste

Rodoviários querem reajuste salarial de 16%. A reivindicação da categoria foi feita em reunião na tarde dessa quinta-feira (27), na sede do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da Capital (SET), para apresentação de propostas antes da data-base dos trabalhadores, no dia 1º de maio. Para os empresários do setor, dificilmente haverá acordo com esse percentual. O superintendente do SET, Luís Cláudio Siqueira, existe uma defasagem na tarifa de transporte de 42,99%, o que incide diretamente em um eventual reajuste no preço cobrado ao usuário do sistema.

Nota da Polícia Militar

Em nota, o Comando da Polícia Militar informou que "a quantidade não afeta de maneira relevante o policiamento nas ruas", mesmo com a participação de alguns agentes policiais em movimentos grevistas.

Segue nota, na íntegra:

"Apesar de alguns policiais terem aderido ao movimento grevistas, sua quantidade não afeta de maneira relevante o policiamento nas ruas. Quase 1.800 PM's nomeados já estão trabalhando. Sobre a retomada da operação nos 'corredores de segurança', não houve alteração em sua aplicação e o trabalho continua sendo feito normalmente".

Fonte: Imirante.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 − seis =