Resultado de imagem para emprego Divulgação

 

Outubro foi um mês importante para o Mercado de Trabalho no Maranhão. Com alta de 0,20% em relação a setembro, foram criados, ao todo, 932 novos postos, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

 

A criação de empregos colocou o Estado em uma melhor posição no saldo comparativo do mercado de trabalho brasileiro: o Maranhão ficou em 13º lugar entre os 26 Estados e o Distrito Federal.

 

Segundo dados do CAGED, o Comércio e a Agropecuária concentram a maior parte das admissões líquidas, enquanto a Indústria de transformação eliminou 801 empregos. Destaca-se, também, que os setores da Construção Civil e dos Serviços, com o resultado positivo do mês de outubro, já marcam o sétimo mês consecutivo de geração de emprego formal.

 

No acumulado até outubro deste ano, foram registradas 2,3 mil contratações líquidas – uma variação positiva de 12,2 mil vagas em relação ao mesmo período de 2016.

 

Para o Presidente do IMESC, Felipe de Holanda, “é importante observar a evolução positiva do subsetor da construção civil, que acumulou 1,6 mil contratações acima das demissões no acumulado de janeiro a outubro deste ano, refletindo o impacto das políticas de geração de emprego do Governo do Estado focadas no subsetor, especialmente no grupamento de Serviços de Infraestrutura, além de uma ainda frágil, mas inequívoca, recuperação das contratações no grupamento de Construção de Edifícios”.

 

Por outro lado, o setor com maior número de desligamentos líquidos ao longo do ano continua sendo o Comércio (-2,1 mil). No que se refere à abertura por municípios, São Luís registra pela primeira vez saldo positivo no acumulado de 2017, com contribuição principalmente do setor de Serviços. Contudo, o setor Comércio segue aprofundando as demissões líquidas na maioria dos municípios maranhenses.

 

Fonte: Suacidade.com