Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil de São Luís – MA

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil de São Luís – MA

Ouça nossa rádio

Cesta básica tem alta de R$ 14,50 nos dois últimos meses em São Luís

O valor da Cesta Básica do ludovicense teve um aumento de 1,9% no mês de maio. Isto representa R$ 4,96 de variação em relação ao mês de abril deste ano. Isoladamente é um aumento baixo, mas se fizermos um ajustamento mensal sequencial, nos últimos 60 dias, a cesta básica na capital maranhense teve uma elevação de R$ 14,52, somando abril e maio de 2014.

 

O cálculo é feito pelo Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (IMESC) para o município de São Luís. Em valores reais, a cesta básica da família ludovicense foi de R$ 259,73, quando sofreu a maior elevação do ano: R$ 9,56 (3,8% – em relação a março), para R$ 264,69, no mês de maio.

 

Os vilões da cesta básica nos dois meses são muito parecidos e acompanham um aumento no valor. Em abril, o feijão liderou o ranking com 10,3%. Já em maio, o tomate voltou às primeiras posições como em 2013. Desta vez o fruto teve um aumento de 7,3%.

 
Confira a comparação:
– Feijão (7,3%) – maio
– Feijão (10,5%) – abril

– Tomate (7,8%) – maio
– Tomate (1,7%) – abril

– Carne (5,2%) – maio
– Carne (6,1%) – abril

– Café (0,5%) – mail
– Café (4,1%) – abril

Custo x trabalho
Outra comparação é no quesito comprometimento da renda para comprar os produtos da cesta básica. Em abril, o trabalhador que ganha um salário mínimo (R$ 724) precisou comprometer 35,9% da sua renda no mês de abril para adquirir os produtos que compõem a cesta básica.

 

Restando apenas 64,1% do salário mínimo disponível para outras despesas como: habitação, vestuário, transporte, higiene, lazer, entre outras. Tomando como base uma jornada de trabalho de 220 horas, o trabalhador no mês de abril precisou laborar 78 horas e 55 minutos para obter um montante equivalente ao valor da cesta.

 

Já no mês de maio houve um aumento. O trabalhador comprometeu 36,6% da sua renda para adquirir os produtos da cesta básica. Restando apenas 63,4% do salário para outras despesas. O trabalhador, no mês de maio, precisou de 80 horas e 25 minutos para obter um montante equivalente ao valor da cesta básica.

Fonte:Imparcial.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 8 =