SINDCONSTRUCIVIL – MA

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil, Construção Pesada-Infraestrutura, Mobiliário, Artefatos de Cimento, Obras de Arte, Instalações Elétricas, Montagens e Manutenções Industriais, Construção e Manutenção de Rodovias, Ferrovias e Engenharia Consultiva

Ouça nossa rádio

Brasil gera 344.984 empregos no primeiro trimestre do ano

Segundo dados do Cadastro-Geral de empregados e Desempregados (Caged) o país gerou nos primeiros três meses do ano um total de 344.984 postos formais de trabalho, resultado superior ao verificado para o mesmo período de 2013, quando foram gerados 306.068 postos. Nos últimos 12 meses essa geração foi de 1.027.406 postos de trabalho, equivalentes à expansão de 2,57% no contingente de empregados celetistas do país.

 
No período de janeiro de 2011 a março de 2014, com base na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) que incorpora os servidores públicos e os celetistas de 2011 e 2012 e no CAGED de 2013 a março de 2014, foram gerados 4.845.247 postos de trabalho, representando um crescimento de 10,99% sobre o estoque de dezembro de 2010.

 
Após sete meses consecutivos de crescimento mais favorável, o nível de emprego em março apresentou uma expansão de 0,03%, indicando a geração de 13.117 empregos formais. O resultado é positivo, apesar de não confirmar uma expectativa de crescimento maior esperada pelos técnicos do ministério para o mês.

 
Segundo o ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, que fez a divulgação dos dados nesta quinta-feira (17), o resultado surpreendeu e não reflete o que vem ocorrendo desde o início do ano quando o país gerou mais de 344 mil vagas no primeiro trimestre. “Isso pode ser um reflexo da antecipação nas contratações ocorridas no mês de fevereiro, quando se verificou um incremento de 260.823 mil empregos, o segundo melhor saldo para o mês na série histórica”, avaliou, ratificando a expectativa de geração de 1,4 milhão de empregos este ano.

 
O saldo de março foi oriundo de 1.767.969 admissões, o quarto maior para o mês e de 1.754.852 desligamentos, o terceiro maior resultado para o período.

 
Análise Setorial – Os dados mostram que quatro dos oito setores registraram expansão no contingente com carteira assinada, com destaque para os Serviços, (+37.453 postos), Indústria de Transformação (+5.484 postos) e Administração Pública (+3.482 postos).

 
O saldo do emprego no setor Serviços decorreu da expansão do emprego em cinco dos ramos que o compõem, sendo a geração de 8.888 postos pelo setor de serviços médicos e odontológicos foi recorde da série do Caged para o mês.

Fonte: Blog do Trabalho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − cinco =