Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil de São Luís – MA

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil de São Luís – MA

Ouça nossa rádio

Conheça a importância de conhecer os primeiros socorros que podem evitar mortes

Cerca de 90% das vítimas de parada cardíaca morrem antes de chegar ao hospital, mas uma reanimação cardiopulmonar imediata pode aumentar muito as chances de sobrevivência. De acordo com o médico intensivista e coordenador do centro de simulação realística do Hospital São Domingos, Luís Carlos Bernadino Jr, a cada minuto que se retarde o início da reanimação perde-se 10% da chance da vítima sobreviver.

 

O médico Luís Carlos explica que a parada cardiorrespiratória é quando o fluxo sanguíneo de todo o corpo é interrompido por uma falha da função de bomba do coração. Como o sangue é que transporta tanto o oxigênio como os nutrientes, combustíveis das nossas células, os órgãos entram em colapso e em questão de minutos a vítima evoluirá para o óbito, se nada for feito.

 

Os sinais característicos de uma parada cardiorrespiratória consistem na perda da consciência, na interrupção da respiração e na ausência de pulso. “Qualquer pessoa pode apresentar uma parada cardiorrespiratória, mesmo sem fatores de risco, porém as principais causas de uma parada cardiorrespiratória é extra-hospitalar, são as arritmias graves secundárias a doença coronariana. Portanto as pessoas com maior risco são as portadoras de fatores de risco para infarto agudo do miocárdio, tais como as obesas, tabagistas, dislipidêmicas, hipertensas, diabéticas e sedentárias. Porém afirmo que qualquer um pode apresentar uma”, falou o médico.

 

Segundo Luís Carlos, há condutas complexas que uma equipe médica deve instituir no momento da parada cardiorrespiratória, porém raramente uma parada cardiorrespiratória extra hospitalar, ocorre com o médico ao lado. Luís Carlos orienta como agir nesta situação, primeiro deve-se verificar se a vítima responde ou respira. Se ela estiver inconsciente e não respirar o socorrista deverá buscar ajuda e avisar que é uma parada cardiorrespiratória e pedir um desfibrilador externo automático, e iniciar as compressões torácicas, no centro do tórax da vítima, com no mínimo cinco cm de profundidade e no mínimo 100 vezes por minuto.

 

“As manobras de reanimação Cardiopulmonar podem ser feitas por qualquer pessoa. Em alguns países essas manobras são ensinadas nas escolas, para que as crianças e jovens já saibam como agir. As manobras devem ser iniciadas imediatamente após a identificação de uma parada cardiorrespiratória, não importa o local. Não se deve transportar um paciente em parada cardiorrespiratória”, afirmou o médico.

Fonte:Imparcial.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 5 =