SINDCONSTRUCIVIL – MA

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil, Construção Pesada-Infraestrutura, Mobiliário, Artefatos de Cimento, Obras de Arte, Instalações Elétricas, Montagens e Manutenções Industriais, Construção e Manutenção de Rodovias, Ferrovias e Engenharia Consultiva

Ouça nossa rádio

SINDCONSTRUCIVIL visita canteiro de obra das empresas MCM Construções e Montagens e LLucena Infraestrura

 

 

Durante os dia 24 e 25 de novembro, diretores do SINDCONSTRUCIVIL (Presidente Humberto França Mendes, Secretário Jorge Luís França Mendes e o Diretor Social Lauro dos Inocentes Filho) estiveram visitando o canteiro de obras da construção da fábrica de cimento SILMAR no bairro Vila Maranhão.

 

As empresas MCM Construções e Montagens e LLucena Infraestrura são as que atuam nesta obra. Os próprios trabalhadores destas empresas entraram em contato com o SINDCONSTRUCIVIL e pediram a visita de seus representantes sindicais na obra, denunciando  irregularidades como: Pagamentos de salários inferiores ao piso da categoria e não recebimento da Cesta Básica no valor de R$ 180,00 (Cento e oitenta reais).

 

Os representates do SINDCONSTRUCIVIL conversaram com os trabalhadores, distribuíram panfletos com os pisos salariais atualizados de acordo com a Convenção Coletiva da Categoria 2014-2015 fechada com o SINICON e informaram os trabalhadores sobre os seus direitos. Os diretores do sindicato também conversaram com os representantes das empresas que afirmaram não haver nenhuma irregularidade praticada contra os trabalhadores.

 

Para o presidente do SINDCONSTRUCIVIL Humberto França Mendes, as empresas MCM Construções e Montagens e LLucena Infraestrura vem realizando grandes obras da construção pesada, como é o exemplo da construção da fábrica de cimento SILMAR. Por este motivo, elas são obrigadas a pagarem os pisos da convenção coletiva da construção pesada.

 

O SINDCONSTRUCIVIL orientou todos os trabalhadores, que ao se sentirem lesados, mesmo ao sair das empresas, procurem a sede do SINDCONSTRUCIVIL ou recorreram a justiça, requerendo seus direitos legais.

 

Veja imagens da visita:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =