SINDCONSTRUCIVIL – MA

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil, Construção Pesada-Infraestrutura, Mobiliário, Artefatos de Cimento, Obras de Arte, Instalações Elétricas, Montagens e Manutenções Industriais, Construção e Manutenção de Rodovias, Ferrovias e Engenharia Consultiva

Ouça nossa rádio

Protesto em apoio à Lava Jato é realizado em São Luís e mais 200 ciadades

Manifestação em defesa da Lava Jato reúne milhares de pessoas na Esplanada dos MinistériosDivulgação

 

Com a segurança reforçada, milhares de pessoas vestidas de verde e amarelo e empunhando bandeiras do Brasil se reuniram ontem (4) em cerca de 200 cidades, de acordo com os organizadores, entre elas Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. O protesto é em defesa da Operação Lava Jato e contra o pacote de medidas anticorrupção aprovado com modificações pela Câmara dos Deputados na madrugada do dia 30 de novembro. 

 

Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal, na Esplanada dos Ministérios até as 11h15 entre 4 e 5 mil pessoas participavam pacificamente do protesto, previsto para ser encerrado às 13h. Para os organizadores, são mais 15 mil manifestantes. Entre os movimentos que convocaram os protestos, estão o Vem pra Rua e o Avança Brasil.

 

As manifestações estão permitidas apenas no gramado da Esplanada dos Ministérios, a partir da Catedral de Brasília até a Avenida das Bandeiras, mas alguns manifestantes conseguiram chegar próximo ao espelho d'água do Congresso Nacional, onde espalharam desenhos de ratos, simbolizando, segundo eles, os políticos.

 

São Luis

Bine Moraes/O Estado

 

 

Assim em como vários estados do Brasil, o maranhão também teve sua manifestação de apoio à Operação Lava Jato e combate à corrupção. Em São Luís, na porta da Assembleia Legislativa do estado, manifestante exibiram, na tarde de ontem (4), faixas de apoio ao Ministério Público Federal e ao juiz Sérgio Moro. Em um ato de repúdio contra os deputados federais do Maranhão que votaram a favor da emenda que prevê punição a crimes de responsabilidade cometidos por magistrados e membros do Ministério Público.

 

Fonte: Ag. Brasil/O Estado

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × dois =