SINDCONSTRUCIVIL – MA

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil, Construção Pesada-Infraestrutura, Mobiliário, Artefatos de Cimento, Obras de Arte, Instalações Elétricas, Montagens e Manutenções Industriais, Construção e Manutenção de Rodovias, Ferrovias e Engenharia Consultiva

Ouça nossa rádio

Medo do desemprego cresce pela quinta vez consecutiva, aponta pesquisa da CNI

O Índice do Medo do Desemprego aumentou 3,4% neste último mês na comparação com março. Foi a quinta alta consecutiva do indicador, que alcançou 76,1 pontos e ficou 6,7% acima do registrado em junho do ano passado, informa a pesquisa trimestral Termômetros da Sociedade Brasileira, divulgada nesta segunda-feira (30), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). A pesquisa também mede a satisfação dos brasileiros com a vida.



O estudo mostra que o Índice do Medo do Desemprego teve um aumento mais expressivo, de 5,8%, entre as pessoas que têm até a quarta série do ensino fundamental. Para essa faixa da população, o Índice do Medo do Desemprego subiu de 69,4 pontos em março para 73,4 pontos em junho. Mesmo assim, o medo do desemprego ainda é maior – alcança 80,2 pontos – entre as pessoas com curso superior.



No comparativo entre as regiões, o medo do desemprego cresceu mais no Sul, onde o indicador passou de 71,3 pontos para 76,9 pontos. No entanto, continua sendo mais elevado no Norte-Centro-Oeste, onde atinge 82,4 pontos.



SATISFAÇÃO COM A VIDA – Conforme a pesquisa da CNI, o Índice de Satisfação com a Vida cresceu 0,9% em junho frente a março e ficou praticamente estável quando comparado ao mesmo mês de 2013.  Quanto maior o grau de instrução do entrevistado, maior é a satisfação com a vida. Entre os que têm curso superior, o índice subiu de 103,7 pontos para 104,9 pontos. Mas entre as pessoas com até a quarta série do ensino fundamental, o índice recuou de 102,7 pontos para 101,1 pontos.



A satisfação com a vida também é maior entre os que moram em municípios com mais de 20 mil e menos de cem mil habitantes e aqueles que ganham mais de dez salários mínimos.



A pesquisa ouviu 2.002 pessoas em 142 municípios entre os dias 13 e 15 de junho. 


Fonte: Portal da Indústria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + 4 =