SINDCONSTRUCIVIL – MA

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil, Construção Pesada-Infraestrutura, Mobiliário, Artefatos de Cimento, Obras de Arte, Instalações Elétricas, Montagens e Manutenções Industriais, Construção e Manutenção de Rodovias, Ferrovias e Engenharia Consultiva

Ouça nossa rádio

Fiscalizações do SINDCONSTRUCIVIL detectam irregularidades em empresas

A Blitz do SINDCONSTRUCIVIL esteve na Construção da Tubulação do canteiro da Empresa Edeconsil que está realizando a Montagem da Rede de Tubulação de Água do Rio Itapecuru, onde os trabalhadores do Consórcio recebem o piso da Categoria da Construção Pesada, porém, os trabalhadores que são contratados pela EMPRESA EDECONSIL estão recebendo o piso da Categoria da Construção Civil. O que é totalmente errado, na visão do Sindicato. Deve ser feito um mesmo pagamento a todos os operários, pois o canteiro de obras é um só e o serviço é igual para todos.

 

O SINDCONSTRUCIVIL já está tomando as devidas providências. Irá encaminhar a notificação para a Empresa Edeconsil para que sejam respeitados os direitos destes trabalhadores. Que todos venham receber os seus salários dentro dos pisos da Categoria da Construção Pesada com direito a cesta Básica.

 

 

A obra da PG Mineração na Av. Quarto Centenário também foi visitada, segundo informações dos trabalhadores, com a presença constante do Sindicato nesta obra, houve significativas melhorias. Como por exemplo, os salários que não são mais atrasados e estão sendo pagos até o quinto dia útil de cada mês. Todos os trabalhadores também já estão com suas CTPS em mãos e assinadas.

 

Apesar disso, o SINDCONSTRUCIVIL fez uma visita na Fábrica de pré-moldados da PG Mineração situada na BR 135 em Pedrinhas. Neste local, a realidade é diferente, os trabalhadores desta empresa estão totalmente irregulares: Não tem registro na CTPS, não possuem fardamentos adequados, não estão com EPI, não recebem o piso da categoria.

 

A empresa PG Mineração foi notificada e se prontificou a resolver a situação sem a necessidade de ser encaminhada ao Ministério do Trabalho e Ministério Público. Dentro de 10 dias úteis, o Sindicato retornará nesta localidade para comprovar a regularização das pendências junto aos trabalhadores.

 

 

 

A Blitz do SINDCONSTRUCIVIL visitou algumas obras de empresas atuantes em São Luís passou ainda dentro do Distrito Industrial onde a Módullo Engenharia está realizando serviços de recuperação de calçadas e meio-fio. Foi conversado com estes trabalhadores que afirmaram possuírem registro nas CTPS, possuírem também dois fardamentos, e receberem alimentação, assim como, serem pagos com o piso da Categoria da Construção Civil celebrada com o SINDUSCON-MA. A única reclamação destes trabalhadores seria o fato da empresa não descontar a Taxa Assistencial, para que os trabalhadores desfrutem dos serviços oferecidos pelo Sindicato. O SINDCONSTRUCIVIL vai entrar em contato com a empresa para que seja descontada esta taxa no contracheque dos operários, como é da vontade dos trabalhadores.

 

Também foi feita uma fiscalização dentro da área da Polícia Militar Rodoviária do Estado, no bairro do São Cristóvão, bem próximo do Aeroporto Marechal Cunha Machado. Foi encontrada a empresa Resende Engenharia LTDA onde os trabalhadores não possuem registro em CTPS, não possuem fardamentos, estão desprotegidos dentro do canteiro, falta refeitório e comida de qualidade. A empresa já foi notificada. Segundo os trabalhadores a empresa teria afirmado que não assinaria as CTPS, mas a mesma, depois de notificada garantiu que vai resolver todas as irregularidades.

 

No Residencial Ribeira, a empresa Pactor Construções e Empreendimentos LTDA realiza serviço de construção de uma escola com 12 salas. De acordo com os trabalhadores, todos estão com Carteiras Assinadas, Recebem o piso da Construção Pesada, Recebem dois fardamentos e não têm do que reclamar.

 

 

No entanto a Cumbique Construções LTDA que também está operando dentro do Residencial, na Construção do Mercado da Ribeira está totalmente irregular. Os trabalhadores não possuem CTPS assinadas e nenhuma condição de trabalho. Os trabalhadores foram orientados a procurarem seus direitos no Sindicato, caso a empresa os demita sem lhes dar os seus direitos trabalhistas. Para que assim, eles possam ter seus direitos resguardos e cobrá-los junto a empresa Cumbique Construções LTDA por meio da Justiça.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − seis =